COMPARTILHE

Teleconsultoria, Segunda Opinião Formativa (SOF), Tele-educação e Telediagnóstico são as ofertas do Telessaúde Bahia dirigidas aos diversos profissionais da Atenção Básica do estado. Neste primeiro semestre de 2019, o serviço alcançou números expressivos na adesão destas ofertas. Foram mais de duas mil teleconsultorias realizadas, 13 SOFs publicadas na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), aproximadamente 24 mil participantes ao vivo nas webplaestras e 94 municípios apoiados presencialmente e  17.658 laudos de ECG emitidos a distância. “Esses números reforçam o compromisso do Telessaúde como ferramenta de apoio e qualificação do profissional em ato, no seu processo de trabalho pertinente a atenção básica”, considera o diretor de Atenção Básica, José Cristiano Soster.

Nesse primeiro semestre, o Núcleo Telessaúde Bahia investiu em diversas ações para facilitar o acesso dos profissionais de saúde na utilização das ofertas. Destaca-se principalmente a plataforma de teleconsultorias em formato mobile friendly, sem a necessidade de comprometer a memória celular já que não precisa baixar nenhum aplicativo para usar a plataforma. “Apesar de não se constituir um aplicativo, o mobile friendly, que significa amigável a dispositivos móveis, facilitou o uso das teleconsultorias, uma vez que a plataforma está adaptada para funcionamento em qualquer dispositivo móvel seja ele tablet ou celulares”, explica Daiana Alves, gestora de contrato do serviço.

Oriundas das teleconsultorias, as SOFs abordam temas prioritários para a Atenção Primária à Saúde (APS) e tem como objetivo ampliar a capacidade resolutiva dos profissionais e equipes de saúde. Por serem construídas a partir das perguntas e dúvidas dos trabalhadores destas equipes, possuem um forte potencial de transmissão e produção de conhecimento e apoio às questões do cotidiano da APS.

Em março, a Bahia apresentou uma nova proposta em Telediagnóstico, a oferta de teledermatologia. “O objetivo é buscar a qualificação do encaminhamento, retirando da fila de espera do especialista em dermatologia os pacientes que podem ter seu caso resolvido pelo próprio médico de família, podendo ser priorizados casos mais graves”, explicou no lançamento Harley Miguel, supervisor de Telediagnóstico do TelessaúdeSC, núcleo responsável pela disponibilidade dos laudos a distância.

Para o segundo semestre, Daiana Alves cita a inclusão de uma nova oferta para o núcleo baiano. “Estamos  articulando a implantação da telerregulação, como projeto piloto, em um município do Estado, sendo uma estratégica com potencial para contribuir na redução de encaminhamentos desnecessários com a qualificação do encaminhamento, resultando em economicidade para o SUS e resolubilidade na Atenção Básica, conforme experiências desenvolvidas em outros estados do Brasil”, concluiu a gestora.