COMPARTILHE

Tabagismo, etilismo e exposição solar excessiva seriam os fatores de risco mais relevantes para a ocorrência do câncer de boca e de lábio¹. Desta forma, a prevenção primária do câncer de boca se dá por meio da diminuição ou da cessação do consumo de álcool e fumo, em longo prazo¹.

Segundo orientações do Ministério da Saúde qualquer lesão dos tecidos moles da boca que não apresente regressão espontânea ou com remoção de possíveis fatores causais (tais como: dentes fraturados, bordas cortantes em prótese, etc) em até 03 semanas, deve ser referenciada para diagnóstico²e, sendo este realizado de maneira precoce é imprescindível para que se assegurem medidas preventivas e um prognóstico favorável na abordagem da doença. Com o diagnóstico tardio, o paciente com câncer de boca sofre um atraso importante de tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento¹.

O câncer de boca inclui os cânceres de lábio e de cavidade oral (mucosa bucal, gengivas, palato duro, língua e assoalho da boca)² e está entre as principais causas de óbito por neoplasias,representando uma causa importante de morbimortalidade,pois, mais de 50% dos casos são diagnosticados em estágios avançados da doença². Segundo a literatura acomete o sexo masculino de forma mais intensa e 70% dos casos são diagnosticados em pessoas com idade superior a 50 anos (4). A localização (preferencialmente) é no assoalho da boca e na língua e o tipo histológico mais frequente (90 a 95%) é o carcinoma de células escamosas (carcinoma epidermóide)².

Na abordagem individual o diagnóstico precoce de lesões na boca deve ser uma ação desenvolvida minuciosamente pelas equipes de saúde bucal na atenção básica². Com o diagnóstico tardio, o paciente com câncer de boca sofre um atraso importante de tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a prevenção possa ajudar a reduzir a incidência de câncer em até 25% até 2025³.Ressalta-se, dessa maneira, a importância de realizar exames periódicos em usuários com maior vulnerabilidade para o desenvolvimento do câncer de boca, e que possuam mais de um dos seguintes fatores de risco:

– Ser do sexo masculino

– Ter mais de 40 anos (70% dos casos são diagnosticados em indivíduos com idade superior a 50 anos)³.

– Ser tabagista e etilista;

– Exposição ocupacional a radiação solar sem proteção;

– Ser portador de deficiência imunológica (congênitas e/ou adquiridas).

Algumas medidas de caráter preventivo³:

– Não fumar;

– Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;

– Ter uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes;

– Usar preservativo, inclusive durante a prática de sexo oral;

– Reduzir exposição ao sol ou adotar medidas de proteção (bonés, chapéus, filtro solar) para evitar câncer de lábio e pele.

Portanto, é salutar integrar a Equipe Saúde Bucal aos programas de controle do tabagismo, etilismo e outras ações de proteção e prevenção do câncer na perspectiva de incentivar ações preventivas, campanhas educativas, debater políticas públicas, apoiar atividades organizadas e desenvolvidas pela sociedade civil, entre outras ações³.

 

Para trabalhar a Educação Permanente com as Equipes de Saúde, sugerimos que  assistam à webaula e webpalestra, realizadas no dia 19/04/2018:

Webaula: Manejo Odontológico do paciente em tratamento oncológico.

Webpalestra: Câncer bucal – Sinais clínicos e diagnóstico.

 

REFERÊNCIAS:

1.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. A saúde bucal no Sistema Único de Saúde [recurso eletrônico] – Brasília: 2018. 342 p

2.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde Bucal – Brasília: 2008.92 p. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica; 17).

3.Brasil,Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer (INCA). Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-boca

4.Brasil, Ministério da Saúde. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/44603-ministerio-da-saude-chama-atencao-para-a-semana-nacional-de-prevencao-do-cancer-bucal

Teleconsultoria respondida por: Adeilda Ananias de Lima, Teleconsultora de Odontologia. Cirurgiã-dentista, especialista em Saúde Integral à Família com ênfase na Estratégia da Saúde da Família e em Saúde Coletiva.