COMPARTILHE

O código CIAP 2, diferente do CID-10 evidencia os motivos de procura do cidadão (sofrimento ou enfermidade) ao serviço de saúde, mesmo que não sejam doenças, permitindo conhecer melhor a demanda dos pacientes. Deste modo, não estarão disponíveis todos os códigos com especificidade, devendo ser escolhidos códigos mais amplos ou gerais, como por exemplo:

W18 – Sinais/sintomas pós-parto;

-48 – Esclarecimento

-49 – Outros procedimentos preventivos

A escolha será sempre pelo código que mais se aproxime do quadro de saúde encontrado durante atendimento, fique a vontade para informar aquele que julgar adequado.

No PEC, ao finalizar seu atendimento, o que você não deve deixar de informar é o código do SIGTAP 0301010129 – CONSULTA PUERPERAL no campo de “Procedimentos Realizados” e em seguida finalizar atendimento, veja figura abaixo:

Não é necessário registrar manualmente o número de consultas, pois com o uso do código SIGTAP o sistema será capaz de realizar o registro adequado no Relatório operacional de gestantes e puérpera, junto com os demais registros desta condição de saúde, veja:

REFERÊNCIAS

Brasil. Ministério da Saúde: Manual de Uso do Sistema com Prontuário Eletrônico do Cidadão PEC v3.0 (Preliminar) Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/esus/manual_pec_3_0/index.php

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – 1. ed. rev. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_32.pdf

Teleconsultoria respondida por: Thiago Piropo, teleconsultor e-SUS/SIS AB, fisioterapeuta sanitarista.