COMPARTILHE

Nas primeiras horas do dia nosso organismo libera hormônios contra reguladores que se dividem em quatro tipos: adrenalina, glucagon, cortisol e GH (hormônio do crescimento) fazendo com que o fígado por meio de mecanismo da gliconeogênese hepático libere glicose proporcionando assim energia para iniciar nosso dia. Esses hormônios impedem que o corpo fique sensível à ação da insulina.

O resultado é que o nível da glicose aumenta entre 4 e 8 horas da manhã, uma reação fisiológica normal conhecida como o fenômeno do amanhecerEm indivíduos não diabéticos o excesso de glicose retorna a níveis normais devido a carga extra de insulina endógena.

Mas, para as pessoas com diabetes esse excesso de glicose pode causar um aumento anormal da glicemia devido a não produzirem insulina (diabetes tipo 1) ou não a produzirem devidamente (diabetes tipo 2) o que levará a hiperglicemia de jejum.

Se essas hiperglicemias persistirem as pessoas devem ser orientadas a realizar testes de glicemia capilar nas madrugadas e em jejum  por alguns dias seguidos. Caso essas glicemias estiverem normais na madrugada e hiperglicemias de jejum podemos considerar o fenômeno do amanhecer.

O tratamento pode ser feito aumentando a dose  da insulina basal, mudança de horário da insulina basal  e/ou hipoglicemiante oral ou mesmo fazendo algumas mudanças da alimentação na ceia.

Vale ressaltar que a automonitorização glicêmica capilar é uma ferramenta importante para os ajustes terapêuticos pois é possível avaliar a resposta individual do paciente, ver se as respostas alcançadas se estão de acordo com as metas glicêmicas recomendadas. Assim, a intervenção da equipe de saúde que acompanha a pessoa com diabetes é importante e necessária para o fortalecimento do auto cuidado mantendo assim um bom controle do diabetes.

Texto: Maria das Graças Velanes de Faria, enfermeira, COREN-Ba 39.834. Pós Graduação em Educação em Diabetes. Coordenadora de Educação em Diabetes da SESA/Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia.

Referência:

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES (SBD). Diretrizes 2019-2020. São Paulo, Editora Clannad, 2020. Disponível em: https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/DIRETRIZES-COMPLETA-2019-2020.pdf. Acesso em: 24  de março de 2021.