COMPARTILHE

Pacientes domiciliados, são consideradas pessoas com diferentes graus de incapacidade que as impossibilitam não somente de ir à unidade de básica de saúde como também na maioria dos casos, de realizar atividades cotidianas básicas¹. Os pacientes acamados são aquelas situações em que ficam restritos ao leito e requerem alguns cuidados especiais². Porém, não apenas quando o paciente é restrito ao domicílio, também há outras situações que podem justificar uma assistência domiciliar, como por exemplo¹:

  • Situação de emergência em que o paciente não pode ser transportado rapidamente para o hospital;
  • Atendimento de situações e/ou doenças agudas que incapacitam o paciente a vir até a Unidade de saúde (US);
  •  Intercorrência dos pacientes crônicos, terminais ou em internação domiciliar;
  • Visita periódica para pacientes com incapacidade funcionais, idosos acamados ou que moram sozinhos;
  • Visitas aos pacientes egressos hospitalares;
  • Confirmação de óbito e;
  • Pacientes com outros problemas de saúde, incluindo doença mental.

 

Referências

  1. Ministério da Saúde. Grupo Hospitalar Conceição. Manual de assistência domiciliar na atenção primária à saúde; organizado por José Mauro Ceratti Lopes [Internet]. Porto Alegre: Serviço de Saúde Comunitária do Grupo Hospitalar Conceição, 2003 [citado 2010 Mai 6]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Manual_Cuidadores_Profissionais.pdf Acesso em: 28/01/2019.

 

  1. Empresa de Serviços Hospitalares. EBSERH. Procedimento Operacional Padrão (POP), 2018. Disponível em: http://www2.ebserh.gov.br/documents/1132789/1132848/POP+1.36_MUDAN%C3%87A+DE+DEC%C3%9ABITO.pdf/7b84a0f8-07f0-44df-b14e-815402d49517> Acesso em: 28/01/2021.