COMPARTILHE

O Ministério da Saúde, anunciou na última terça-feira, 24, que está ampliando o número de testes que serão distribuídos para diagnosticar o Covid-19 no Brasil. Serão entregues ao Ministério da Saúde 22,9 milhões de testes de dois tipos: o RT-PCR e o teste rápido de sorologia.

O RT-PCR (biologia molecular) – identifica o vírus no período em que está agindo no organismo. O uso desses testes é feito para diagnosticar casos graves internados. É utilizado na Rede Sentinela, ou seja, para acompanhar a evolução da doença no Brasil, como os sintomas dos casos mais graves associados ao vírus. Os testes são feitos em casos graves e amostragem de casos leves, como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). já os Testes rápidos (sorologia) – verificam a resposta do sistema imunológico ao vírus. Eles serão utilizados entre os profissionais de saúde e segurança para garantir a segurança e proteção deles.

O volume de testes adquiridos se referem a compras diretas, doações e parcerias público-privadas. A iniciativa busca adequar à recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de testar para isolar os casos da doença.

Nos próximos três meses, ainda, o Ministério da Saúde irá ampliar a Rede Sentinela de Vigilância de Síndrome Gripal, que monitora a doença no país. A expectativa é que o número de estabelecimentos que fazem a coleta de amostras para vigilância aumente de 168 para 500 unidades em todos os estados. As ações visam garantir resposta adequada à emergência. Até o momento, 32,5 mil testes já foram distribuídos na rede pública de saúde em todo o país. Neste momento, o ministério definiu a aplicação dos testes em profissionais de saúde e de segurança, além da verificação dos casos graves e óbitos.

Fonte: Ministério da Saúde – Adaptado