Telessaúde Brasil Redes

O Telessaúde e o uso das modernas tecnologias da informação e comunicação para atividades a distância relacionadas a saúde, em seus diversos níveis (primário, secundário e terciário), tem possibilitado a interação entre profissionais de saúde, ensino e pesquisa, bem como o acesso remoto a recursos de apoio clínico assistencial da mais alta evidência científica, com ênfase no caráter educativo por meio das teleconsultorias.

O Telessaúde Brasil Redes é um programa instituído pela Portaria GM/MS nº 2546 de 27 de outubro de 2011 e tem como objetivo potencializar o processo de trabalho dos profissionais das Redes de Atenção no SUS e desenvolver ações de Educação Permanente. É ainda uma oportunidade de integrar tecnologias de informação e comunicação, educação em saúde e teleconsultoria, com vistas à melhoria dos serviços prestados pelo Sistema Único de Saúde à população.

Na Atenção Básica, o Telessaúde Brasil Redes está inserido no Programa de Requalificação de Unidades Básicas de Saúde, buscando dotá-las com equipamentos de informática, conectividade, integração com a Rede de Atenção a Saúde, desenvolvimento de ações de telessaúde, apoio matricial e educação permanente, conforme especificado na Portaria GM/MS nº 2554 de 28 de outubro de 2011. Também, com a ampliação da clínica, objetiva aumentar a resolutividade da Atenção Básica e otimizar recursos humanos e financeiros.

 

Telessaúde Brasil Redes – Bahia

Na Bahia, o projeto Telessaúde iniciou suas atividades em 2013 e tem como objetivo ampliar a resolubilidade e fortalecer a Estratégia de Saúde da Família a partir da oferta de serviços como Teleconsultoria, Segunda Opinião Formativa, Tele-Educação e Telediagnóstico, dirigidos aos diversos profissionais dessas equipes. Dentre as ações do projeto surge o apoio especializado de profissionais da área de saúde, que se destaca por meio das seguintes estratégias metodológicas:

  • Teleconsultoria: consulta feita por algum profissional da saúde registrado por meio de instrumentos de telecomunicação (plataforma virtual), com a finalidade de esclarecer dúvidas sobre procedimentos clínicos, ações de saúde, disponibilização de materiais educativos, questões relativas ao processo de trabalho e organização e gestão da Atenção Básica, podendo ser de três tipos:
  1. a) assíncrona: teleconsultoria realizada por meio de texto, ou seja, acontece mesmo quando o teleconsultor e profissional não estão conectados ao sistema ao mesmo tempo.
  2. b) síncrona: teleconsultoria realizada em tempo real, geralmente por chat, web ou videoconferência, agendado via plataforma;
  • Segunda Opinião Formativa: respostas sistematizadas às perguntas originadas das teleconsultorias, e selecionadas a partir de critérios de relevância e pertinência em relação às diretrizes do SUS. Estas respostas são construídas com base em revisão bibliográfica, nas melhores evidências científicas e clínicas, e no papel ordenador da Atenção Básica à saúde;
  • Tele-educação: Forma de ensino que possibilita a aprendizagem e consiste na utilização de ferramentas tecnológicas e recursos didáticos sistematicamente organizados para a construção e aperfeiçoamento de conhecimentos em saúde. São disponibilizados cursos, aulas, treinamentos e capacitações presenciais e à distância, além de serviço de webpalestras e webconferências voltados para a educação permanente dos profissionais da saúde da Atenção Básica e mediados por profissionais qualificados e com notório saber no tema a ser abordado.
  • Telediagnóstico: Facilita a realização de exames de eletrocardiograma (ECG) e a disponibilidade de laudos de à distância no âmbito da Atenção Básica, o acompanhamento do usuário com cardiopatias, qualifica o encaminhamento por meio da plataforma nacional, representando economia para o SUS, e principalmente qualidade de vida para o usuário, uma vez que os resultados dos exames serão disponibilizados no máximo em até 2 horas. A oferta nacional de Telediagnóstico conta ainda com educação permanente em saúde para os profissionais das equipes e saúde da família responsáveis pelo acompanhamento do usuário no município.

O TelessaúdeBA está disponível para os 417 municípios baianos e pode ser acessível de qualquer computador ou smartphone com acesso à internet, além dos Pontos de Telessaúde instalados nas Unidades de Saúde da Família (USF) e cadastrados no CNES. Trata-se de equipamentos de informática existentes nas USF e conectados à internet, com acesso facilitado a todos os membros das equipes de saúde da família em um processo de trabalho definido pela própria equipe. Cada município foi habilitado a receber o recurso para aquisição dos kits de informática, conforme Portaria GM/MS nº 2.815/2011.

Os municípios que receberam recurso do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde (recurso Fundo a Fundo) foram responsáveis pela aquisição, disponibilização e manutenção dos equipamentos. Para os demais municípios, o Estado disponibilizou os kits para implantação do Telessaúde, conforme Nota Técnica nº 01, de 16 de janeiro de 2012 e Resolução CIB/ BA nº 143 de 21 de julho de 2011.

A coordenação municipal de AB deve manter estabelecida uma comissão responsável pela gestão do Telessaúde, e ainda:

  • comprometer-se com a implementação, monitoramento e avaliação do Telessaúde Brasil Redes – Bahia, em articulação com o Comitê Gestor Estadual e com a respectiva instância intermunicipal;
  • promover a integração dos profissionais de saúde com as ações do Telessaúde Brasil Redes – Bahia, de acordo com a carga horária e conforme a legislação vigente;
  • estimular o uso dos serviços do telessaúde entre seus trabalhadores, tanto pela equipe gestora municipal quanto pelas equipes de Saúde da Família, Núcleo de Apoio a Saúde da Família, Consultório na Rua, Provab, Mais Médicos, Programa Saúde na Escola e Academia da Saúde.

 

Porque realizar teleconsultorias?

– Para ampliar o acesso a especialistas em lugares remotos, para aumentar a resolubilidade da AB;

– Tirar dúvidas sobre procedimentos clínicos e processos de trabalho;

– Gestão organizacional da AB;

– Ações e campanhas de saúde;

– Educação permanente e continuada para a equipe;

– Solicitação de materiais de apoio;

– Diminuir o custo de saúde através da qualificação profissional local;

– Reduzir a quantidade de deslocamentos desnecessários de pacientes aumentando a acessibilidade local aos serviços de saúde, sobretudo os de prevenção de doenças.

 

Quem pode utilizar?

Todos os profissionais de saúde da Atenção Básica da Bahia (odontólogos, enfermeiros, médicos, técnicos e auxiliares de enfermagem e em saúde bucal, agentes comunitários de saúde, além de gestores da Atenção Básica e equipes NASF, PSE, Academia da Saúde, Consultório da Rua, e Programa Mais Médicos, cadastrados na plataforma do Ministério da Saúde (MS). Por isso, gestor da AB, divulgue e encoraje a utilizar as ofertas e saiba como a equipe do TelessaúdeBA pode apoiar a gestão e os profissionais de saúde do território. Acesse e cadastre-se no nosso site (www.telessaude.ba.gov.br).