COMPARTILHE

No dia 08 de agosto, a webpalestra “LGBTfobia Institucional: o que o SUS tem a ver com esse tema?” com o palestrante Erik Asley Abade, mestre em Saúde Coletiva, abordou “Quem é a população LGBT? ▪ Definição de LGBTfobia. ▪ LGBTfobia institucional e o SUS. ▪ Sugestões de condutas antiLGBTfóbicas”, com foco na abordagem voltado para profissionais de saúde.

Durante a atividade online, o Telessaúde Bahia contabilizou 950 participantes, resultando em um espaço potente de discussão. O município de Salvador aproveitou a temática para organizar pólos presenciais em locais próximos aos Distritos Sanitários (DS), com a estrutura necessária para a transmissão da webpalestra e apoio de mediadores presenciais. De acordo com os organizadores da atividade no município, foram 279 participantes entre gestores e trabalhadores de nível médio e superior que atuam nas Unidades Básicas de Saúde, nos Núcleos Ampliados de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB), nos Multicentros de Saúde e nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

“A atividade resultou num importante espaço de discussão e aprendizado, sendo considerada uma estratégia positiva de ampliação do acesso a webpalestras e esclarecimentos de dúvidas que dialogam diretamente com a realidade do município através da mediação presencial”, explicou Lucia Barbosa, técnica campo Temático Saúde da População LGBT, de Salvador.

Para o supervisor de Tele-educação do Núcleo, Thiago Piropo, um dos objetivos da oferta é dar apoio as situações reais do cotidiano dos profissionais. “É muito, gratificante quando vemos o desdobramento das nossas ofertas no território, recebemos muitos relatos de profissionais e gestores da Atenção Básica na aplicação das temáticas abordadas nas webpalestras como momento de educação permanente das equipes, contribuindo para a mudanças de práticas mais resolutivas”, explica.

A área de tele-educação tem como premissa a participação constante dos trabalhadores do SUS. Em dezembro de 2018, foi disponibilizado um canal para que os profissionais sugerissem temas para 2019. Neste semestre, foi disponibilizado um formulário para compor um banco de contato de profissionais que tenham interesse em ministrar as webpalestras ou gravar vídeoaulas de forma voluntária.

Perdeu alguma webpalestra?

O Telessaúde Bahia disponibiliza a gravação das webpalestras no canal no YouTube (www.youtube.com/CanalTelessaudeBA), além de disponibilizar as apresentações dos palestrante e material completar no site.