COMPARTILHE

Há poucos estudos clínicos sobre segurança do uso de plantas medicinais durante a gestação. Infelizmente, os estudos que avaliam os efeitos positivos e negativos da utilização de chás na gestação são insuficientes para uma orientação objetiva.  O Caderno de Atenção Básica de Pré-Natal¹ fala apenas sobre evitar o uso de chá preto e café na gestação, por alterar o metabolismo da hidratação do corpo e pela chance de gerar ou piorar sintomas dispépticos, como azia.

O Uptodate² ³ (site estaduninense que se baseia nos últimos estudos publicados) ratifica a insuficiência dos estudos para orientar ou contraindicar o uso de chás de ervas na gestação. Faz a mesma observação do Ministério da Saúde sobre evitar cafeína e chá preto, além de acrescentar o benefício do uso de chás a base de gengibre para tratamento das náuseas². Segundo esse site, os estudos que avaliam a segurança do uso de chás de ervas na gestação não têm um desenho metodológico confiável, além de, até o momento, apresentarem desfechos diferentes. Por conta disso, recomenda que o uso de chás de ervas na gestação seja desencorajado. Os maiores riscos negativos nesses casos são: efeito abortivo, malformações fetais e hepatotoxicidade.

É importante ressaltar que “a gestação é um período onde o bebê está em formação e o uso de drogas pode causar alterações morfofisiológicas no feto. Diante do exposto, é necessária a aplicação do princípio da precaução, ou seja, durante os três primeiros meses de gestação, deve ser evitado o uso de qualquer espécie de planta medicinal da mesma forma que os medicamentos sintéticos, cujos estudos para avaliação de efeitos tóxicos e de má formação sobre o feto não estejam concluídos. A atualização frequente sobre o uso de plantas medicinais na gestação poderá auxiliar os profissionais, doulas e gestantes a qualificar suas informações sobre segurança e toxicidade do uso de plantas medicinais durante a gravidez baseadas em evidências científicas”5.

Referencias:

1 – Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012.

2 – Christine D Garner, PhD. Nutrition in pregnancy. Post TW, ed. UpToDate. Waltham, MA: UpToDate Inc. http://www.uptodate.com (acessado em 17 de fevereiro de 2018).

3 – Robert B Saper, MD. Overview of herbal medicine and dietary supplements. Post TW, ed. UpToDate. Waltham, MA: UpToDate Inc. http://www.uptodate.com (acessado em 17 de fevereiro de 2018).

4 – Faria, PG; Ayres, A; Titonelli, NA. O diálogo com gestantes sobre plantas medicinais: contribuições para os cuidados básicos de saúde. Acta Scientiarum. Health Sciences. Maringá, v. 26, n. 2, p. 287-294, 2004

5 – BVS. SOF. Quais plantas medicinais podem ser utilizadas durante a gestação? Núcleo de Telessaúde Santa Catarina | 13 nov 2015 | ID: sof-23004. Disponível em: https://aps.bvs.br/aps/quais-plantas-medicinais-podem-ser-utilizadas-durante-a-gestacao/. Acesso em: 05 de dezembro de 2019.

 

Teleconsultoria respondida por Naiara de Andrade: Teleconsultora de enfermagem. Enfermeira especialista em Enfermagem Obstétrica.