COMPARTILHE

A Hipertensão na faixa etária pediátrica é uma realidade. Apesar de apresentar causas secundárias, a causa primária, principalmente associada ao sobrepeso e à obesidade, tem aumentado. As causas secundárias, são mais frequentes
em crianças do que em adultos.¹

Habitualmente as crianças e adolescentes hipertensos são assintomáticos. Alguns podem apresentar quadro de cefaleia, irritabilidade e alterações do sono.Os sinais e sintomas podem sugerir envolvimento de algum órgão ou
sistema específico, por exemplo, rins (hematúria macroscópica, edema, fadiga), coração (dor torácica, dispneia aos esforços, palpitação).

Na investigação das causas, é muito importante ser feita história clínica e exame físico detalhados e completos, na tentativa de identificar aspectos que possam sugerir causa secundária
da HAS. ¹

A investigação diagnóstica da causa da hipertensão pode ser iniciada na atenção básica, porém o encaminhamento ao pediatria pode ser considerado, de acordo com o caderno 37 do ministério da saúde (a seguir): 2

A terapêutica inicial, na maioria dos casos, é não medicamentosa, prezando, principalmente, pela atividade física e dieta; e mesmo naqueles em que o tratamento
medicamentoso é iniciado, preconiza-se manutenção das recomendações para mudanças do estilo de vida.

Referências:

1. SBP. Hipertensão arterial na infância e adolescência. Manual de orientação. 2019. Acesso em 06/12/2019 . Disponível em :https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/21635c-MO_-_Hipertensao_Arterial_Infanc_e_Adolesc.pdf

2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

Teleconsultoria respondida por: Soraia Cedraz-Teleconsultora médica do Telessaúde BA.