COMPARTILHE

O acompanhamento deve ser mensal, focado em identificar queixas, sinais e sintomas que possam indicar evolução ou regressão da doença após o início do tratamento. É necessário monitorar o peso devido aos possíveis ajustes na posologia das medicações, avaliando eventuais reações adversas. Ademais, ofertar teste de HIV na consulta inicial para avaliação imediata e solicitar exames, como glicemia em jejum e função hepática e renal. Realizar controle bacteriológico para casos pulmonares e radiológico, se exame de imagem utilizado como parâmetro auxiliar do diagnóstico. Conforme indicação clínica, pode haver necessidade de solicitação de exames complementares¹.

É preciso avaliar o contexto e a rede de apoio do indivíduo a fim de buscar métodos alternativos. Frente à vulnerabilidade do paciente, é indispensável a atuação de uma equipe multiprofissional. Logo, é importante conhecer a rede do município para encaminhar ao Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e Centro de Referência da Assistência Social (CRAS). O apoio do NASF é uma ferramenta que propicia visão ampla dos determinantes sociais que envolvem o indivíduo, bem como oportuniza mudanças e fortalece o autocuidado em saúde. Se o paciente apresenta baixa adesão ao serviço e/ou tratamento, o profissional de saúde precisa construir momentos educativos para informá-lo sobre o diagnóstico, tratamento e riscos e consequências da sua interrupção².

 

Referências

 

  1. Manual de Recomendações para o Controle da Tuberculose no Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. 2ª edição atualizada. Brasília DF, 2019.

 

  1. Caminhos do cuidado – Formação em Saúde Mental (crack, álcool e outras drogas) para agentes comunitários de saúde e auxiliares/técnicos de enfermagem da Atenção Básica. Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde; Fundação Oswaldo Cruz, Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde; Grupo Hospitalar Conceição, Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde – Escola GHC. Brasília, 2013. Disponível em:

https://www.caminhosdocuidado.org/wp-content/uploads/2013/08/caderno_do_aluno-leitura.pdf