COMPARTILHE

No mês de setembro, o Telessaúde Bahia realizou uma série de webpalestras com foco no Setembro Amarelo. O núcleo contabilizou 6.746 participantes, dentre eles, profissionais de saúde e educação. Foram sete sessões que abordarem temas como suicídio, automutilação, bullying e o impacto do digital na saúde mental dos adolescentes. Este ano, as secretarias estaduais da Educação e da Saúde (Sesab) lançaram a ação conjunta ‘Educação e Saúde na prevenção do suicídio’, com palestras presenciais nas escolas ministradas por psicólogos e assistentes sociais e webpalestras voltadas para os professores das redes estadual e municipais de educação, além de profissionais da atenção básica.

Durante o lançamento da campanha o secretário estadual da saúde, Fábio Vilas-Boas, reforçou a importância de falar sobre a temática principalmente para profissionais que lidam diariamente com adolescentes. “Precisamos garantir que a sociedade moderna tenha uma juventude bem trabalhada psicologicamente, a fim de que possamos desenvolver todos os potenciais inerentes àqueles que estão em fase de formação. Temos, enquanto gestores, o papel de assegurar o bem-estar social desses jovens”, ressaltou.

A primeira webpalestra do mês com o título “O império das imagens, a era digital e a saída suicida”, com a Coordenadora do Núcleo de Estudo e Prevenção do Suicídio (NEPS/CIAVE/SESAB), Soraya Rigo, também foi transmitida para alunos do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, em Salvador. A palestrante abordou o poder das redes sociais, espetacularização da vida, sofrimentos narcísicos e saída suicida entre adolescentes e jovens. “Nenhuma outra fase da vida temos mudanças tão drásticas, tão profundas e intensas como na adolescência, mudanças biológicas, sociais e psicológicas (..) costumo dizer que são verdadeiros abalos sísmicos”, citou a palestrante durante a apresentação para ilustrar de onde surge os questionamentos na fase do adolescer, mas ressaltou que “quando sofrimento psíquico é intenso, gerando angústia, medos, ansiedade, isolamento social, depressão, tentativa de suicídio e o suicídio, o pensamento suicida neste caso passa ser anormal”, reforçando que quando esse jovens vê no suicídio a única saída de se livrar do sofrimento psíquico é sinal de alerta e deve ser dado total atenção.

Outro tema muito solicitado pelos profissionais foi a “automutilação”, abordado pelo neuropsicólogo, Janilton Andrade do Instituto Dom de Educar. Foram diversos comentários positivos dos participantes, inclusive nas redes sociais, profissionais que acompanham casos desta natureza sentiram-se contemplados. “Ótima iniciativa de colocar esse tema que é tão controverso pela desinformação.  Concordo que falar mais do tema sem perder o objetivo de esclarecer, muitas vezes o senso comum distorce os fatos. Gostei do formato de apresentação do tema nesse vídeo, de forma clara e objetiva”, comentou Dileuza Nunes no YouTube.

Todas as webpalestras estão disponíveis no Canal TelessaúdeBA no YouTube.

 

#SetembroAmarelo

No Brasil, a campanha foi criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), com a proposta de dar visibilidade à causa, no mês que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio (10 de setembro). De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas.

Em Salvador, é possível buscar atendimento no Núcleo de Estudos e Prevenção do Suicídio (Neps), que propõe uma ação interdisciplinar, incluindo psicoterapia, psiquiatria, terapia ocupacional individual e de grupo, visitas domiciliares e reuniões familiares de caráter informativo, incluindo orientação e acolhimento. Localizado no bairro do Saboeiro, o núcleo pertence à estrutura do Centro de Informações Antiveneno (Ciave).

Além do Neps, uma unidade do CVV funciona há 30 anos em Salvador, com atendimentos feitos por voluntários, que ouvem a pessoa que passa por esse problema, sem julgá-la ou minimizar o sofrimento, e a encaminham para um tratamento médico especializado. O CVV fica na Rua do Bângala, nº 47, no bairro de Nazaré.